quinta-feira, fevereiro 21, 2008

Teresa Lima # Entrevista 3

A entrevista à ilustradora Teresa Lima tinha sido inicialmente programada para o Dia Internacional das Bibliotecas Escolares. No entanto, e como usámos o correio tradicional, alguns percalços (entre eles um vizinho a viver em Macau...) remeteram esta carta para uma outra efeméride não menos importante: a Semana da Leitura. Claro que se tivessemos usado o correio electrónico, tudo teria sido mais rápido, mas também mais impessoal. Não teriámos recebido a carta da Teresa Lima, não teríamos enviado os nossos desenhos, pelo menos numa folha palpável ainda com um restinho de borracha. Assim, esperámos, mas valeu a pena. Para os que quiserem ficar a conhecer um pouco melhor Teresa Lima aqui fica a entrevista.
O professor da nossa biblioteca colocou na maleta de livros que veio para a nossa sala dois livros ilustrados por si e como, desde o ano passado, andamos a tratar da ilustração e porque gostámos muito dos seus desenhos, decidimos que seria muito bom se conseguíssemos entrevistá-la.Os alunos dos 3º e 4º anos da EB1 de Alvorninha (Caldas da Rainha)
.......................................................................................................................................................................

Como se chama?
- Chamo-me Teresa, de nome próprio e tenho mais uns tantos apelidos, mas uso Lima como segundo nome.

Onde nasceu?

- Nasci em Lisboa, naquela maternidade muito conhecida, a Alfredo da Costa.

Onde reside actualmente?

- Desde sempre residi em Lisboa e embora não seja tão pacata quanto a vossa cidade, gosto muito deste local para viver. Mas confesso que, às vezes, preciso sair daqui para mudar de ambiente, quer para procurar sossego e tranquilidade, quer mesmo para outros locais com alguma agitação, mas diferentes daquele onde vivo.

Quais são os seus estudos?

- Formei-me em Pintura, na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa. Lá não se aprende Ilustração - ou pelo menos no meu tempo não se aprendia -, mas ilustrar, com a técnica que eu uso, também é pintar. Tudo o que lá aprendi, quer ao nível das técnicas e dos materiais, quer ao nível da Estética e da História das Artes, é-me muito útil para o meu trabalho de ilustradora. Porque, ilustrar é muito mais do que colorir bonecos

Trabalha só a fazer ilustrações, ou trabalha/ trabalhou noutras áreas?

-Para além de fazer ilustração, sou também professora de Desenho, História de Arte e Oficina de Artes, às vezes tudo ao mesmo tempo, outras apenas uma ou duas destas disciplinas, de meninos mais crescidos do que vocês. São do ensino secundário e como também gostam de desenhar, de design e arquitectura, escolhem a área de Artes para seguirem os seus estudos.
Pelos lindos desenhos que me mandaram, acho que alguns de vocês, quando forem mais crescidos, também irão optar por estas áreas artísticas!

Como se tornou ilustradora?

- Tornei-me ilustradora porque gosto muito de livros e sobretudo de livros com boas imagens. E quando fiquei mais atenta ao que se ia fazendo a nível da ilustração infanto-juvenil, descobri livros belíssimos, com uma qualidade visual imensa, o que me alertou para o facto de que ilustrar podia ser uma forma de expressão artística tão válida como qualquer outra, com a grande vantagem de acrescentar ao prazer de pintar o prazer de ler as histórias que serviam de base ao meu trabalho.

O que faz para se inspirar quando tem que ilustrar um livro?

- São as imagens que se vão criando na minha cabeça, à medida que leio os textos, que me servem de primeira inspiração. Mas essas imagens são fruto das minhas vivências, de tudo o que vejo, desde obras de Arte, às ilustrações de outros autores, à publicidade, às cores e texturas de tecidos, papéis, elementos naturais, enfim todo o mundo visual que me rodeia.

Nas suas ilustrações, que técnicas de pintura normalmente usa?

- Técnicas mistas – aguarela, acrílicos e colagem.

O que mais gosta na sua profissão?

-Fazer aquilo que gosto: pintar. Ler as histórias que me servem de base ao trabalho de ilustrar. Poder criar imagens para além das histórias. Ver o trabalho impresso nos livros e assim poder compartilhá-lo com outras pessoas.

O que menos gosta?

- Estar isolada enquanto estou a ilustrar. É um trabalho solitário. Talvez por isso nunca tenha deixado o ensino, pois faz-me falta o contacto com as pessoas.

Que prémios/ distinções já teve?

- Vocês já conhecem os 2 nacionais, em 1998 e 2006.
Outros prémios/distinções foram:
1996- Lista de Honra da Internacional Board on Books for Young People (IBBY), com o livro “ A Cor das Vogais
1997- Menção Especial “Recomendado” secção portuguesa do IBBY, com o livro “Segredos”
2003 – Lista de Honra do IBBY, com o livro “A Cavalo no Tempo”
- Selecção para a Mostra de Ilustração – Ilustrarte (ilustração do livro “Se os Bichos se Vestissem como Gente”)
2004- Menção Honrosa do Prémio Nacional de Ilustração com o livro “Se os Bichos se Vestissem como Gente”)
2007- Consta do Catálogo de Bolonha 2007 com as ilustrações do livro “Histórias de Animais de Rudyard Kipling” e também Ilustrarte, com trabalhos do mesmo livro.

O que sentiu relativamente aos dois prémios nacionais de ilustração que já teve?

-É sempre uma grande satisfação porque é o reconhecimento do trabalho feito. O primeiro livro premiado “Alice no País das Maravilhas” era um trabalho com desenho, composição e técnicas muito diversas do segundo, “Histórias de Animais de Rudyard Kipling”, o que me fez sentir que o meu trabalho, provavelmente, tinha evoluído no bom sentido.

Acha que as pessoas dão a mesma importância ao ilustrador e ao escritor?

- Acho que já começam a dar, embora o escritor ainda continue a ter maior peso. Mas certamente a maioria das pessoas, quando procura livros ilustrados nas prateleiras, provavelmente olha mais depressa para as imagens do que para os textos.

Que mensagem gostaria de deixar aos alunos da nossa escola?

- Aprendam a apreciar as boas imagens dos livros ilustrados. Sejam sensíveis ao modo como o ilustrador recorta e complementa as histórias, com a sua forma muito particular de ler o texto e o interpretar. Apreciem as composições, a originalidade das formas e das cores e as técnicas presentes nas imagens criadas por cada ilustrador.
Sonhem e tenham muito prazer a ler e a ver os muito bons livros ilustrados que existem por aí.
Talvez, mais tarde, alguns de vocês irão também contribuir com o vosso talento para que outros meninos sonhem também com as vossas imagens.

1 comentário:

Anónimo disse...

http://prixviagragenerique50mg.net/ achat viagra
http://prezzoviagraitalia.net/ viagra
http://precioviagraespana.net/ viagra precio